Open Access Open Access  Restricted Access Subscription or Fee Access

Interpretar o abandono: a viagem de Moniz Barreto em duas histórias da literatura de Goa

Daniela Spina

Abstract


Resumo. O presente artigo investiga as interpretações da saída de Goa por parte do crítico literário Moniz Barreto, em dois textos de história da literatura indo-portuguesa, publicados em 1926 e 1971. A partir da leitura da palestra de Gilberto Freyre em Goa de 1951, na qual a viagem de Moniz Barreto para Paris é criticada por representar a traição dos valores proclamados pelo lusotropicalismo, serão abordadas e comparadas as duas obras de história literária, avaliando a maneira com que os seus autores se aproximam ou se distanciam do marco referencial negativo do abandono, que é delineado no texto de Freyre. Quer seja individual ou coletiva, a migração fora do espaço ultramarino é vista como um fenómeno que atenta contra o bom funcionamento das teses de Freyre e que põe em crise o conceito de comunidade lusotropical teorizado pelo sociólogo brasileiro e aproveitado pelo regime do Terceiro Império português. À luz disso, este artigo pretende comprovar como a personagem e as ações de Moniz Barreto são questionadas de forma positiva ou negativa, na medida em que se tornam funcionais, ou não, para a realização de determinados projetos políticos para a literatura de Goa. Tais projetos estariam, aliás, aptos a demonstrar o excecionalismo do colonialismo português e a apresentar a literatura indo-portuguesa como um dos seus melhores resultados.

Abstract. This article investigates how Moniz Barreto’s departure from Goa was interpreted by two texts on Indo-Portuguese literary history, published in 1926 and 1971. Through a reading of Gilberto Freyre’s lecture in Goa in 1951, in which he disapproves Moniz Barreto’s trip to Paris because it represents the betrayal of the values proclaimed by Lusotropicalism, the two works of literary history will be approached and compared, evaluating the way in which their authors embrace or distance themselves from the negative frame of abandonment, which is outlined in Freyre’s text. In fact, whether individual or collective, migration out of the Portuguese Overseas space is seen as a phenomenon that threatens the good functioning of Freyre’s theses, and which throws into crisis the concept of lusotropical community theorized by the Brazilian sociologist and used by the Portuguese Third Empire. Thereby, this article intends to show how the character and actions of Moniz Barreto are questioned in a positive or negative way, as they become functional, or not, to the realization of certain political projects for Goan literature. Moreover, such projects would be able to demonstrate the exceptionalism of Portuguese colonialism and to present Indo-Portuguese literature as one of its best results.


Keywords


Moniz Barreto, Indo-Portuguese literature, literary history, abandonment, Lusotropicalism

Full Text:

PDF

Refbacks

  • There are currently no refbacks.